29 de julho de 2015

Inveja: Os maus olhos do coração.

Inveja: Os maus olhos do coração.            

Até que ponto esse sentimento pode destruir a vida de uma pessoa?
Cruel é o furor, e impetuosa, a ira, mas quem pode resistir à inveja?” (Provérbios 27:4).

A inveja faz parte de muitas situações do cotidiano e sempre foi um grave problema no relacionamento humano, é uma condição emocional sorrateira, que queima como fogo de palha, por baixo e sem fumaça.

Você sabia que uma das emoções mais devastadoras é a inveja? É o tipo mais antigo de pecado (Is 14:14) e pode ferir não só as relações interpessoais (2Co 12:20) mas também a saúde física (Pv 14:30).

A inveja, está por trás de algumas atitudes e comentários de pessoas que nos cercam, é definida como um sentimento de profundo pesar pelo sucesso alheio. O comportamento de um invejoso não difere muito de um crítico, de um ressentido, de um coração magoado. Nenhuma dessas condições é propriamente, inveja. Mas esta pode estar “orquestrando” a todas aquelas, por trás.
A pessoa invejosa sofre mais pelo que os outros tem, do que pelo que lhe falta.

Frases como:
“Queria ter um carro igual ao seu.” “Quem me dera ter o salário dele.” “Gostaria que meu namorado fosse igual ao seu.”, por exemplo, carregam não somente o desejo pelo que é do outro, mas também a frustração de não ter aquilo, uma energia capaz de interferir negativamente na vida de quem é vítima desse sentimento, gerando intrigas, fofocas, competição e, em alguns casos, até crimes.

A inveja parece ser quase inofensiva, mas seus frutos são cruéis a ponto de prejudicarem suas vítimas ao extremo.

Uma pesquisa publicada na edição de fevereiro de 2009 da revista American Journal of Science (Jornal Americano da Ciência, em português), em que uma equipe de cientistas japoneses conseguiu identificar a região do cérebro que controla o sentimento de inveja. Para o pesquisador-chefe do Departamento de Neuroimagem Molecular do Instituto Nacional de Ciência Radiológica do Japão, Hidehiko Takahashi, de 37 anos, a inveja pode levar uma pessoa a praticar um ato destrutivo e até criminoso para conseguir o que deseja. Esse sentimento costuma ser pessoal e freqüentemente, provoca violência, tanto psicológica (abuso verbal, calúnia, crítica) como física.

A Bíblia fala sobre a inveja muito mais do que se imagina. Segundo as Escrituras Sagradas, a inveja é um dos males mais antigos que se tem notícia.

O primeiro caso relatado aconteceu entre Caim e Abel, os filhos de Adão e Eva. Ambos apresentaram ofertas de sacrifício a Deus, mas o Senhor agradou-Se apenas do sacrifício de Abel.
Assim, tomado pelo espírito de inveja, Caim assassinou seu irmão. Mas a culpa foi do próprio Caim, pois se tivesse feito o melhor, Deus teria se agradado dele. Afinal, o Senhor é Justo Juiz.

Então, o que devemos fazer para não sermos vitímas desse sentimento destruidor?

Bom, com certeza, devemos usar nossa fé. Pois a "fé" é uma ferramenta imbatível contra a inveja, tendo em vista que é uma fonte de vida, um verdadeiro tesouro inesgotável que não se pode colocar em risco sob hipótese nenhuma. E além da fé, use a sua sabedoria...

Procure não expor suas convicções pessoais a todos, justamente para não despertar inveja. O Senhor Jesus disse que não devíamos lançar pérolas aos porcos, portanto, procure agir sua fé sem tocar trombeta.

Pois é, o "segredo", ainda é uma arma poderosa, assim nada poderá atingi-lo, nem mesmo a inveja, e lembre-se:
"O sentimento sadio é vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos." (Provérbios 14:30)

Fontes de inspiração: Biblia e Folha Universal

VEJA ESSE VÍDEO

Reações:

7 Comentários:

  1. Oi Mônica, inveja corrói mesmo. Belo texto

    ResponderExcluir
  2. Querida Monica,

    Na minha opinião, a inveja nasce da baixa ou falta completa de auto-estima. É fruto, principalmente, do desamor próprio e da falta de fé em nossa própria capacidade.

    O indivíduo sofre de um complexo de inferioridade que o leva a acreditar (geralmente de forma inconsciente) que não tem capacidade para conquistar aquilo que deseja.

    Aquele que ousa ser bem sucedido, passa a ser, então, alvo de enorme despeito, por ser mais capaz (é o que o invejoso pensa).

    A inveja, a meu ver é uma doença maligna que envenena a existência de quem a sente. Acho que o melhor remédio para combatê-la é o trabalho.

    Trabalho interior, no sentido de aprendermos a nos valorizar e desenvolvermos as habilidades necessárias para atingirmos nossas metas tão desejadas.

    Devemos focar nosso pensamento e nossos esforços no sentido de desenvolvermos a auto-confiança. Sinto que desta forma, encontraremos nosso caminho e nosso lugar neste mundo sem sermos acometidos pela inveja!

    Beijos,

    Guta

    ResponderExcluir
  3. Uma coisa eu sei, se tem algo que eu fujo, é de pessoas invejosas.

    Parabéns pela postagem.

    ResponderExcluir
  4. A pessoa que tem inveja de alguém é porque ela acha que o que o outro tem ele não merece e sim ela.

    Se aprendermos a ser feliz com o que temos nunca desejaremo NADA de ninguém e nem tão querer ser outra pessoa pois Deus nos fez unicos.

    A inveja é a amargura que se sofre por causa da felicidade alheia." (Cícero)

    Um bom dia

    ResponderExcluir
  5. Muito bem colocado a questão de não se expor. Muitas vezes é preciso aprender a preservar o silêncio. Parabéns pela Postagem.

    Bj

    Dárcio

    ResponderExcluir
  6. Olá, Mônica!

    A inveja deve ser evitada, mas se espelhar em alguém de sucesso é muito bom e deve ser posto em prática. Sempre que vemos alguém que se torna vitorioso em uma determinada atividade é importante que nos espelhamos nessa pessoa para que possamos alcaçar o mesmo sucesso dele.

    Abraços

    Francisco Castro

    ResponderExcluir
  7. Para mim, é um dos piores sentimentos que a pessoa deve ter. Pois eu penso que cada um tem aquilo que merece.
    O pior é quando descobrimos que nossos amigos, tem inveja da gente, e estão sempre do nosso lado, mas tentando a qualquer preço te destruir.

    Às vezes pensamos, que isso só acontece em novelas, mas não é, infelizmente.
    Porém não podemos nos abater por nada. Todos nós, somos alvos disso, e precisamos ser maduros para conduzir a situação.

    Tudo tem limite, por ex: um pessoa ter vontade de ter um carro igual ao de uma amiga, pode ser normal, mas daí, essa pessoa não poder ter esse carro, e desejar que a outra bata o carro dela para ficar igual a você. Isso sim, é doença. Isso é onde todo sentimento em excesso, nos prejudica.

    Um forte abraço Mônica.

    Bjs!

    ResponderExcluir

Popular Posts

Não estamos só

     

 
z35W7z4v9z8w